Condomínio Fechado – O que é, como se faz?

Sistema de pagamento é pouco conhecido e traz muitas vantagens aos futuros moradores

Por Thais Queiroz

Quando você escuta “condomínio fechado”, provavelmente a primeira imagem que vem à sua cabeça é a de residenciais de acesso restrito, privês que parecem mini bairros dentro da cidade. Mas e se te dissermos que condomínio fechado também é o nome de uma FORMA DE PAGAMENTO, com diversas vantagens para o cliente? Neste post vamos explicar todos os detalhes desse sistema.

O que é condomínio fechado?

Ao contrário do que possa parecer, não estamos falando de casas dentro de um terreno murado. Nesse sistema, os compradores passam a ser os “financiadores”, ou seja, eles arcam com os custos da construção. O desconto pode chegar a até 25%.
Quem opta por essa forma de pagamento deve ter um poder de compra maior – o valor deve ser pago totalmente até o fim das obras. O que atrai muitos investidores é a vantagem em comprar um apartamento por um valor abaixo do mercado.

No sistema de incorporação, os imóveis são de responsabilidade da incorporadora. Ela vende os apartamentos por um preço fixo, regulado por juros estabelecidos em contrato. Por isso, o metro quadrado sai mais caro.

Os empreendimentos são projetados pelas construtoras de acordo com a demanda de um determinado grupo de clientes. Assim que a empresa identifica o tipo de produto que eles desejam, apresentam para o mercado. Para que as obras do condomínio comecem, é necessária uma quantidade mínima de compradores. Como o cliente passa a ser, de certa forma, sócio da construtora, a relação entre os futuros moradores e a empresa é muito mais próxima do que em uma venda via incorporação.

Como é a forma de pagamento?

A compra tem início com o pagamento da adesão, que pode ser parcelado em quatro meses. O morador pagará as parcelas e intercaladas corrigidas pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Pela administração da obra, a construtora recebe em média 15%. Assim que as obras começam, o repasse dos apartamentos ainda sem dono é feito com a ajuda de corretores. É importante sempre verificar o contrato antes de assinar, principalmente nos pontos que tratam de custos inesperados ou casos de inadimplência dos outros moradores. As obras começam em média após seis meses de capitalização dos condôminos.

Quais são as vantagens?

· Imóvel zero por valor abaixo do mercado;
· Sem juros bancários;
· Prazo de quitação menor (em média 48 meses);
· Documentação simplificada para a adesão e menos burocracia na compra;
· Acompanhamento mais direto da obra.

Imóveis disponíveis

A Moura Dubeux apresenta o Jardins da Ilha, um empreendimento diferenciado no coração da Madalena. Exclusividade em cada detalhe: área de lazer com 1200m², dois salões de festa, piscina adulto e infantil com deck, horta, pomar, quadra de tênis de saibro, pet play, brinquedoteca e muito mais.

Saiba mais sobre o empreendimento em nosso hotsite ofertas incríveis. Clique e cadastre-se!

 

2 comentários sobre “Condomínio Fechado – O que é, como se faz?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 18 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.